sábado, 5 de agosto de 2017

Ele e as Três Noviças

Quando Elvis foi para Hollywood em 1956 ele tinha grandes sonhos de construir uma grande carreira como ator. Queria seguir os passos de seus ídolos Marlon Brando e James Dean. As coisas porém não saíram conforme o planejado. Os filmes de Elvis que fizeram grande sucesso de bilheteria (como Feitiço Havaiano, Viva Las Vegas e Saudades de um Pracinha) seguiam uma certa fórmula e os executivos de Hollywood o aprisionaram dentro desse tipo de comédia romântica musical. Não houve saída e assim Elvis ficou fazendo filmes que basicamente tinham os mesmos roteiros, ano após ano. A partir de 1965 a qualidade dessas produções caíram muito, fazendo com que seus velhos sonhos de ser um grande ator virassem pó. O curioso é que esse último filme de Elvis em Hollywood foi, para surpresa de muitos, realmente muito bom!

Elvis interpreta um médico trabalhando na periferia de Nova Iorque, dentro de uma comunidade mais pobre. Nesse mesmo lugar atuam algumas freiras, uma delas interpretada pela excelente atriz Mary Tyler Moore. O roteiro desse filme assim fugiu de certa maneira da desgastada e saturada fórmula dos filmes de Elvis do passado. Embalado igualmente pela sua volta aos palcos, pelo sucesso do NBC TV Special, Elvis aparece bem mais natural em cena, com os cabelos soltos, livres de todo aquele laquê que plastificou sua imagem no cinema por anos a fio. A trilha sonora também tem músicas muito boas, mais condizentes com a época do filme. Nada daqueles versos adolescentes e daqueles acompanhamentos vocais que em 1969 já não tinham mais razão de ser. Para o próprio Elvis inclusive foi reconfortante interpretar um personagem que parecia mais com uma pessoa de verdade, da vida real. Ele não era mais um piloto ou cantor galã com garotas e mais garotas se jogando aos seus pés. Era um médico, um sujeito comum, concretizando um velho sonho do próprio Elvis que sempre dizia que na juventude havia pensado seriamente em se dedicar aos estudos, para cursar uma faculdade de medicina. Então é isso. Um filme bem acima da média que marcou sua despedida de Hollywood para sempre! Poderia ter sido um novo caminho em sua filmografia, mas Elvis pensou melhor e decidiu dar adeus ao cinema, com pelo menos um bom filme. Foi uma despedida digna e muita adequada.

Ele e as Três Noviças (Change of Habit, Estados Unidos,1969) Direção: William A. Graham / Roteiro: James Lee, S.S. Schweitzer/ Elenco: Elvis Presley, Mary Tyler Moore, Barbara McNair / Sinopse: O Dr. John Carpenter (Elvis Presley) trabalha em uma clínica para pessoas pobres em um subúrbio de Nova Iorque e lá acaba conhecendo a freira irmã Michelle (Mary Tyler Moore). Juntos passam a trabalhar em prol da comunidade local.

Pablo Aluísio e Erick Steve. 

 

5 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.9

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. O filme é bom, ainda mais com uma atriz como Mary Tyler Moore. Elvis está com roupas normais e cabelo solto. E lindo demais da conta.

    ResponderExcluir
  3. Isso mesmo. Elvis estava com um visual bem mais natural. Seu trabalho ao lado de Mary Tyler Moore também foi muito bom.

    ResponderExcluir
  4. Eu já elogiei muito esse filme do Elvis aqui em outras oportunidades. Neste post você disse tudo o que penso, portanto apenas assino embaixo.
    Uma curiosidade fica por conta do Elvis interpretar um médico, mas não qualquer médico e sim um psiquiatra; que inclusive cura um menino utilizando uma técnica revolucionária e um tanto questionável vendo hoje.
    Entretanto vale a pena pensar que se o Elvis tivesse procurado um psiquiatra pra ele, talvez ainda estivesse vivo.

    ResponderExcluir
  5. "De médico e louco todo mundo tem um pouco"...
    Como diria o velho ditado, Elvis tinha um pouquinho dos dois...

    ResponderExcluir